VOLTAR

QUINTA 6 FEVEREIRO, 21H30

Grande Auditório
Tânia Carvalho
Onironauta

Em Onironauta (do grego óneiros, sonho + náutés, navegante), Tânia Carvalho coloca em palco sete bailarinos ou encarnações físicas de um onirismo sob controlo. Sete corpos saídos dos limbos amargos de um sono desperto, acompanhados em cena pela criadora, ao piano.

Depois da estreia em Marselha, e da passagem por Lisboa, Tânia Carvalho regressa ao GUIdance – depois de, em 2017, ter estreado Captado pela Intuição – para inaugurar a 10.ª edição do festival. Com uma carreira de mais de duas décadas, a coreógrafa volta a criar uma peça comovente e arrepiante, como alguns sonhos perturbadores dos quais se acorda confuso e a tremer.

Coreografia e Direção

Tânia Carvalho

Assistente de Ensaios

Luís Guerra

Músicos

André Santos, Tânia Carvalho

Bailarinos

Bruno Senune, Catarina Carvalho, Cláudio Vieira, Filipe Baracho, Luís Guerra, Marta Cerqueira, Vânia Doutel Vaz

Música

Frédéric Chopin, Tânia Carvalho

Desenho de Luz

Anatol Waschke

Figurino

Cláudio Vieira, Tânia Carvalho (maioritariamente com artigos Só Dança)

Sapatilhas

Linha Vegan Só Dança

Direção Técnica

Anatol Waschke

Técnico de Som

Juan Mesquita

Produção

Tânia Carvalho

Produção Executiva

João Guimarães

Comunicação

Sara Ramos

Difusão

Pia Krämer

Residências Artísticas

Centro Criação de Candoso - Centro Cultural Vila Flor, CSC Garage Nardini - Bassano del Grappa, KLAP Maison Pour la Danse, O Espaço do Tempo

Coprodução

Centro Cultural Vila Flor, Culturgest Lisboa, KLAP Maison Pour la Danse, Teatro Municipal do Porto Rivoli - Campo Alegre

Apoio Financeiro

Fundação Gulbenkian - Lisboa

Apoio à Internacionalização

República Portuguesa - Cultura I Direção-Geral das Artes

Apoio Financeiro

Fundação GDA

Apoio

Com Calma - Espaço Cultural

Patrocínio

Só Dança

Agradecimento
Academia de Bailado de Guimarães

_
Duração 60 min. aprox.
Maiores de 6

Newsletter

Para atualizações permanentes da programação cultural d'A Oficina

Subscrever

Image
Image